AUDIÊNCIA DISCUTIRÁ TERMINAL INTERMODAL

O Governo de Içara promoverá, na próxima terça-feira, uma audiência para apresentar o projeto do Terminal Intermodal Sul (TIS). O evento acontecerá no segundo piso do auditório da Igreja São Donato, a partir das 19h. Comunidade, entidades e conselhos municipais da cidade são convidados a participar do debate.

Instalação de empresas

“A previsão inicial é de uma movimentação de 4 mil contêineres ao mês. Além da instalação de grandes empresas, haverá a necessidade de prestadoras de serviços para atender esses empreendimentos, como também uma série de estabelecimentos comerciais. Vai dinamizar bastante a economia da cidade”, aponta o prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon.

O gestor municipal reforça que, por se tratar de um empreendimento que impactará fortemente o desenvolvimento de Içara e exigirá da Administração Pública adoção de medidas visando o interesse público, a participação das entidades e conselhos municipais é muito importante.

Atribuna Jornal Criciúma

Anúncios

Maratona Intermodal incentiva uso de transportes sustentáveis na capital

Evento ocorre no domingo entre 10h e 18h, no Trapiche da Beira-Mar.
Participantes devem utilizar três diferentes modos de transporte.

Do G1 SC

 

No próximo domingo (23) ocorre em Florianópolis a 2º Maratona Intermodal, evento que incentiva a utilização de transportes sustentáveis. A maratona vai ocorrer entre 10h e 18h, no Trapiche da Avenida Beira-Mar.

De acordo com os organizadores, os participantes devem utilizar a criatividade para ir de suas casas até o Trapiche utilizando pelo menos três diferentes modos de transporte sustentáveis. Quem quer participar deve filmar ou fotografar o percurso e entregar o material aos jurados até às 16h. Os vencedores vão ganhar uma premiação surpresa.

O evento faz parte da programação especial da Semana Nacional do Trânsito em Florianópolis e do projeto Ritmos das Cidades, que também incluirá debates sobre Infraestrutura, Transporte, Mobilidade e Segurança no Trânsito. As inscrições devem ser feitas através dosite da 2º Maratona Intermodal.

Dilma deve participar de inauguração de terminal ferroviário em Rondonópolis

A presidente Dilma Rousseff e o ministro dos Transportes, César Borges, deverão participar da solenidade de inauguração, pela América Latina Logística (ALL) do Terminal Intermodal de Cargas de Rondonópolis. Considerado o maior complexo intermodal de cargas da América Latina, o terminal da Ferronorte, em Rondonópolis, se somará aos já existentes nos município de Alto Taquari, Alto Araguaia e Itiquira.

De acordo com a ALL, com o funcionamento dele a capacidade de transporte da Ferronorte em Mato Grosso salta de 12 milhões de toneladas/ano para 17 milhões. O terminal também deve abrigar áreas de transbordo e de armazenagem, além de fábricas de óleo e de biodiesel.

O governador Silval Barbosa disse que a expectativa é de que a agenda da presidente Dilma se confirme e que sua presença dê novo impulso para as obras da ferrovia chegarem a Cuiabá e avançarem ainda mais conquistando a maior área agricultáveis do mundo que é o Médio Norte onde deverá passar também a Ferrovia de Integração do Centro Oeste – Fico, que vai de Goiás até Rondônia e interliga com a Norte Sul atingindo assim todas as regiões do Brasil

Fonte: MT Agora

Içara na mira de um Terminal Intermodal Aduaneiro

Grupo de investidores apresenta projeto para a prefeitura e aguarda resposta sobre aprovação até o mês de setembro

A prefeitura de Içara e empresários locais receberam uma proposta de desenvolvimento econômico tentadora na noite de ontem na Associação Empresarial e Industrial de Içara (Acii). Um grupo de investidores formado pela OpenMarket, Grupo Jayme Zanatta e FTC apresentou o projeto e as perspectivas de crescimento à região trazidas pela instalação de um Terminal Intermodal Aduaneiro.

A perspectiva inicial é movimentar por mês quatro mil contêineres e chegar, em 15 anos, ao volume de 16 mil. Caso aprovado e aceito pela comunidade içarense, o terminal levaria cerca de dois anos e meio para ser finalizado, sendo que a construção iniciaria no mês de setembro. Dividido em quatro fases, a circulação de contêineres seria possível na primeira fase, completadas nos primeiros seis meses. A proposta é instalar o terminal em uma área de 40 hectares – entre a BR-101 e a ferrovia -, com geração de 280 empregos diretos e um investimento de R$ 40 milhões. A capacidade inicial de movimentação é de quatro mil contêineres com importação, exportação e cabotagem.

De acordo com o diretor da trade catarinense OpenMarket, Marcelo Christiano, de Itajaí ao Rio Grande (RS) há uma janela que falta explorar nesse setor. “Para o município, o terminal é um portal de oportunidades e atrai empresas, teremos estrutura para bater à porta das empresas e oferecer o serviço. Com o terminal é possível ter uma economia de até 36% na logística de operação. Estamos correndo contra o relógio, alguns armadores querem vir para o Porto de Imbituba”, observa o diretor da operadora.

Carlos Augusto Menezes, da Ferrovia Tereza Cristina, afirma que diariamente chegam a passar pela “frente” de Içara cerca de 500 contêineres. “E para onde vai isso tudo? Nada fica aqui, eles vão direto para os outros portos. Temos energia garantida, qualidade de vida, um aeroporto que está prestes a ser inaugurado. Tudo isso atrair investidores”.

O prefeito de Içara, Murialdo Gastaldon, reconhece que o empreendimento vai mudar as condições econômicas de Içara, mas salientou que não vai tomar a decisão sozinho. Quer envolver empresários, comerciantes, agricultores, a população na análise do projeto e suas consequências. Para isso, nos próximos dias será convocada uma audiência pública para iniciar as discussões. “O projeto é grande; 40 hectares é só para o terminal, a necessidade real é de 120 hectares e a cidade precisa dispor”, lembrou Gastaldon, já que no entorno serão necessárias empresas e estabelecimentos comerciais suporte como borracharias, hotéis, postos de combustíveis e empresas que consertam contêineres, entre outras necessidades.

“Não temos tudo isso. Só dispomos disso na Fazenda Guglielmi (sentido Sul/Norte à esquerda da BR-101, próximo ao viaduto) e passa por desapropriação, não temos recursos para tal. Transformando aquela área em objeto de interesse público aos poucos a prefeitura desapropria a preço de mercado, mas a desapropriação quem vai pagar é a empresa a se instalar, tudo será pago com recurso privado, sem nenhum centavo de dinheiro público”, pontua o chefe do Executivo.

De acordo com um dos investidores, Edmilson Zanatta, do Grupo Jayme Zanatta, o projeto é um assunto tratado há cerca de seis meses e por muito tempo foi tratado com sigilo até que tivesse consolidado, já que é algo ousado e coloca Içara em uma condição econômica excepcional. “Guardamos a ideia e o projeto para encorpá-lo e desenvolvê-lo. O apoio do poder público foi primordial”.

Durante o encontro, muitos empresários manifestaram-se de forma positiva ao projeto de logística. O coordenador de movimento econômico da Associação dos Municípios da Região carbonífera, Sérgio Tiscoski, apontou que o Sul sofre com a falta de infraestrutura e tem inúmeras atividades econômicas, o que, por isso, precisa ser resolvido. “Içara, por exemplo, tem cerca de 15 atividades econômicas. O transporte é a 11ª maior atividade no município, o que representa 3,05% do Produto Interno Bruto (PIB). Atualmente 283 empresas daqui e de fora buscam a produção das empresas de Içara e deixam recursos no município. Com o terminal, o frete vai ficar em Içara e o PIB atual, sem dúvida, poderá quintuplicar. Será um divisor de águas não só para Içara, mas para a região”, estima Tiscoski.

O encontro da noite dessa segunda-feira foi o terceiro promovido entre a Acii e os empresários, denominado Encontro de ideias com o prefeito, realizado na sede da Cooperaliança.

Intermodalidade no transporte de cargas e passageiros é tema no 22º Congresso SAE

Especialistas discutem interoperabilidade, intermodalidade e qualificação de operadores do sistema ferroviário brasileiro

A intermodalidade e a interoperabilidade como solução no Brasil para a eficiência na logística de cargas e de passageiros; e as estratégias para o domínio da tecnologia e qualificação técnica de operadores do sistema metro-ferroviário serão os principais assuntos do Painel Ferroviário do 22º Congresso e Exposição Internacionais de Tecnologia da Mobilidade SAE BRASIL, de 7 a 9 de outubro, Expo Center Norte, em São Paulo.
O painel será realizado no dia 8 de outubro, às 8h30, no auditório Santana 1, Pavilhão Azul. Para Paschoal De Mario, diretor do comitê Ferroviário do Congresso SAE BRASIL, assessor do Simefre (Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários) e gestor da ABNT – Comitê Brasileiro Metro-ferroviário, as soluções para a melhoria da mobilidade de passageiros e carga são urgentes para o Brasil. “Os problemas do transporte público nas grandes cidades do País e do escoamento da safra brasileira, falam por si”, destaca o engenheiro.
Palestrantes – Os convidados do painel Intermodalidade e Interoperabilidade são Sergio Guedelha Coutinho, sócio-diretor da Guedelha Associados, especialista em radiopropagação, padronização de sistemas de comunicação e de sinalização ferroviária no Brasil, que vai falar sobre gerenciamento de composições em uma mesma linha e da integração entre os modais ferroviários e sobre rodas no transporte de carga e de passageiros.
Debaterá com ele Pedro Armante, engenheiro civil e mestre em Engenharia de Transportes pela Poli/USP, diretor da AEAMESP (Associação de Engenheiros e Arquitetos de Metrô de São Paulo) e especialista da gerência de Planejamento de Transportes do Metrô de São Paulo, que atualmente desenvolve estudos funcionais de rede e linhas de metrô.
Jean Pejo, engenheiro mecânico e representante da ALAF – Associação Latino Americana de Ferrovias e do Congresso Pan americano de Ferrovias no Brasil, mediará o debate.
No painel sobre estratégias para o domínio da tecnologia e qualificação técnica de operadores do sistema metro-ferroviário o debate será entre Ricardo Figueiredo Terra, diretor-técnico do Senai, e Plínio Assman, engenheiro mecânico e ex-presidente do Metrô de São Paulo durante a implantação da primeira linha do Brasil, e fundador da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos). Vicente Abate, presidente da ABIFER, será o mediador.
O Congresso – Além da tradicional Mostra Tecnológica com as últimas novidades tecnológicas de empresas ligadas à mobilidade e da apresentação de cerca de 150 trabalhos técnicos (papers) desenvolvidos por engenheiros que atuam em empresas e universidades do Brasil e do Exterior, o Congresso SAE BRASIL 2013 terá 22 painéis, com apresentações e debates sobre tecnologia da mobilidade nas áreas Aeroespacial, Caminhões e Ônibus, Competitividade, Compras, Duas Rodas, Transporte Ferroviário, Internacional, Manufatura, Qualidade e Logística, Máquinas Agrícolas e de Construção, Segurança Veicular, Sustentabilidade, Tecnologia da Informação, Telemática e Infotainment, Veículos Elétricos e Híbridos e Veículos Leves.
Para Roberto Bastian, presidente do Congresso SAE BRASIL 2013, o evento é resultado do apoio da entidade ao desenvolvimento técnico-científico da mobilidade. “A pesquisa científica não se dá apenas na universidade, é preciso proporcionar aos profissionais do setor e estudantes o ambiente propício à inovação, que promova a interação e estimule a realização de pesquisas competitivas”, aponta Bastian.
——————————————————————————————————
fonte: Segs.com.br valoriza o consumidor

ALL começará testes no terminal intermodal

A empresa ainda não confirmou a data de inauguração do complexo de Rondonópolis

A empresa ainda não confirmou a data de inauguração do complexo de Rondonópolis

Após a confirmação da obtenção da Licença de Operação (LO) do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a América Latina Logística (ALL) informou, por meio de nota, que irá iniciar uma fase de teste no Terminal Intermodal de Rondonópolis e que espera estar operando em plena capacidade até meados de setembro. A empresa ainda não confirmou a data de inauguração.

“A companhia iniciará a fase de testes no novo trecho – de Itiquira até Rondonópolis – e realizará o primeiro carregamento ferroviário no Complexo de Rondonópolis. Os volumes transportados devem crescer gradativamente e estima-se que no decorrer de setembro o novo trecho já esteja operando dentro de sua capacidade regular”, segue a nota divulgada pela ALL.

Anteontem (5), o governo do estado havia confirmado que a ALL obteve a LO do Ibama para operar o Terminal Intermodal de Rondonópolis. No entanto, o prefeito Percival Muniz destacou à reportagem do jornal A TRIBUNA que ainda há algumas pendências para resolver com a empresa, mas que a situação deverá ser definida na próxima semana.

Conforme dados da assessoria de imprensa da ALL, o Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR), um empreendimento da ALL com investimentos de R$ 700 milhões, será o maior do Brasil. A obra ocupará 400 hectares e irá disponibilizar, numa área de 230 mil metros quadrados, um centro comercial, pátio para estacionamento de caminhões e um posto de abastecimento.  No Centro Comercial está prevista a construção de um Shopping Center para atender tanto caminhoneiros como a população da região de Rondonópolis, além de contar com lojas comerciais e de serviços (bancos, farmácias, mercados, chaveiros, copiadoras), praça de alimentação, setor de serviços públicos e um hotel.

O posto de abastecimento comporta circulação de 1,5 mil caminhões por dia, oferecendo serviços de borracharia, oficina e conveniência. O pátio de estacionamento, com área de 162 mil metros quadrados, terá em sua operação uma pré-triagem dos caminhões para facilitar entrada e saída de caminhões e de pessoas, além de possuir em sua infraestrutura, áreas de apoio para motoristas com banheiros equipados com áreas de banho e uma área de refeitório.

Com toda essa estrutura, o CIR irá gerar 3 mil vagas de trabalho. A capacidade de carga será de 120 vagões em seis horas, com operações independentes de carga e descarga e um sistema duplo de carregamento ferroviário, permitindo o embarque simultâneo de dois trens com produtos diferentes. Os dois terminais, de Itiquira e Rondonópolis, deverão carregar até 15 milhões de toneladas por ano até 2015.

Fonte: Danielly Tonin

Portos do Paraná vão apresentar resultados e projetos na 19ª Intermodal

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) vai mostrar os resultados do último ano e projetos para o biênio 2013/2014 durante a 19ª edição da Intermodal South America, que acontece entre os dias 2 e 4 de abril, em São Paulo. Entre 600 expositores, de 22 países, representantes dos portos paranaenses e do governo do estado têm a chance de trocar informações com um público especializado de mais de 45 mil profissionais de logística, transporte e comércio exterior de mais esta edição da Intermodal da América do Sul.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, entre outras oportunidades que se abrem com a feira está a de poder apresentar o que tem dado certo nos portos do Paraná. “Vamos mostrar que os portos paranaenses estão nos melhores níveis do Brasil. Temos dificuldades, sim, mas em 2013 o Porto de Paranaguá é um porto de referência nacional – principalmente por ter conseguido combater o problema das filas de caminhão nesse início de escoamento de safra”, afirma.

Richa Filho diz que os portos paranaenses têm alcançado resultados positivos. “Os nossos esforços, aliados à criação de tecnologia e gestão, têm resultado em soluções. O Porto de Paranaguá, este ano, está sendo exemplo a ser seguido”, garante.

A Appa participa da Intermodal com 20 parceiros. Para o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino, esta é uma oportunidade de ter acesso às inovações, tecnologias e negócios. “A troca de experiências e informações durante a feira é muito intensa e, para os parceiros, o evento é uma oportunidade única de mostrar seus diferenciais e atrair novos negócios”, afirma.

EXEMPLOS – Entre os temas que serão apresentados pela Appa durante a feira estão o plano de arrendamento e as projeções de melhorias já para este ano e o próximo. Somente de investimentos próprios, a Appa despenderá, até o final de 2014, cerca de R$ 400 milhões em melhorias estruturais dos portos. “Entre os principais projetos em andamento estão várias ações para a remodelação do Corredor de Exportação, como aquisição de novas balanças e novos shiploaders. São diferentes frentes de trabalho para recuperar os 20 anos que os portos ficaram sem investimentos e projetos”, destaca o superintendente.

Além disso, a Appa está investindo em trabalhos de dragagem, melhorias na sinalização náutica e, consequentemente, na segurança da navegação. Estão sendo feitos investimentos em tecnologia da informação, melhorias no pátio de triagem e também projetos na área de gerenciamento ambiental.

Além desses, a Appa vai mostrar para o público nacional e internacional os avanços na área de Meio Ambiente. O último deles foi a liberação – pelo Ibama – da licença para a dragagem de aprofundamento.

MOMENTO – O diretor empresarial da Appa, Lourenço Fregonese, lembra que todos os portos brasileiros estarão na Intermodal em São Paulo, num momento de relevância da questão portuária e de infraestrutura do país – principalmente pela recente aprovação da MP 595.

“O momento é tenso, existem prós e contras ao novo marco regulatório, mas torcemos para que o bom senso prevaleça e que a logística brasileira tenha um avanço pelas decisões que serão tomadas pelo Brasil a partir de então. A Intermodal é um espaço onde se recebe clientes, todos os interessados em operar nos portos, onde os profissionais da área portuária e de logística se sentem à vontade para dialogar; inclusive sobre isso”, comenta.

Sobre a participação da Appa junto a 20 parceiros, o diretor afirma que esta é a filosofia da administração. “Exemplo disso é que o Porto de Paranaguá é o único porto que, mesmo antes da aprovação e anúncio da nova medida provisória, estava com todos os projetos prontos para a área de arrendamento. Isso foi resultado de tudo o que foi conversado, discutido e construído junto com os nossos parceiros. Nenhum porto opera sozinho, não é centralizando que se resolvem os problemas, mas dialogando e efetivando o que se discute”, diz.

PARCEIROS – Com a Appa, na 19ª Intermodal South America, participam Cotriguaçu, TCP , Paiaguás, Porto Seco de Cuiabá, Ponta do Félix, Fospar, Mosaic, Harbor, Marcon, Teapar, Sal Diana, ALL, Interalli, Seara, Céu Azul, Cargill, Fortesolo, Catalini, Coamo, Rocha, TKX, Born Group, além da Pasa, CPA e Álcool do Paraná.

A feira está aberta à visitação pública das 13 às 21 horas, entre os dias 2 e 4 de abril no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Para visitar a feira, é preciso fazer inscrição prévia pela internet através do site www.intermodal.com.br.

fonte: http://www.aen.pr.gov.br