Começa nesta terça-feira a Intermodal South America 2013

Começa nesta terça-feira a Intermodal South America 2013, maior feira de Logística, transporte de Cargas e Comércio Exterior, que será realizada no Transamerica Expo Center, em São Paulo, até o dia 4 de abril.

Novos marcos regulatórios e pacotes de concessões estão transformando a dinâmica de todos os modais de transporte, buscando solucionar os gargalos conhecidos e imprimir eficiência à cadeia de distribuição de cargas produzidas internamente e também àquelas oriundas do comércio internacional, e as conferências do evento debaterão exatamente esse particular momento pelo qual passa o País.

A feira, que chega a sua 19ª edição, tem 23% de expansão em área e confirma mais de 600 empresas expositores de 22 países. Em 2013, mais de 60 companhias estreiam no evento, que contará com pavilhões da Alemanha, Bélgica, França, Holanda e Itália. Entre os expositores, corporações de todos os segmentos da logística, tais como operadores, desenvolvedores de softwares, companhias docas, terminais portuários, aeroportos, EADIs, condomínios logísticos, armadores, transportadoras rodoviárias, aéreas, ferroviárias, além de diversos outros representantes de todos os elos da cadeia de distribuição.

 

“A Intermodal se destaca pela presença ativa dos principais prestadores de serviço de toda a cadeia de valor do transporte de cargas. Nesta edição, teremos a participação de 25 portos nacionais e outros 34 internacionais, bem como quatro das cinco maiores empresas de transporte marítimo do mundo. Essa representatividade cria uma oportunidade única para os embarcadores de carga e profissionais de importação das indústrias brasileiras, que aproveitam a feira para negociar, alinhar e fechar negócios”, afirma Michael Fine, gerente da Intermodal South America.

 

Quanto à expectativa de visitantes, Fine enfatiza o foco da organização em manter a qualificação do público da Intermodal. “Ano passado dos 45 mil profissionais do setor que recebemos, 65% foram embarcadores de carga e importadores oriundos de mais de 27 segmentos da indústria. Segundo dados de 2012, os visitantes da feira fecharam negócios com 61% dos expositores, comprovando a importância da Intermodal como geradora de negócios para expositores e visitantes”, conclui o executivo.

 

Fonte: ASsessoria

 

Intermodal South America: Brasil e Alemanha celebram parceria comercial e logística em São Paulo

SÃO PAULO, 14 de março de 2013 /PRNewswire/ — O fortalecimento das relações entre Brasil e Alemanha e o momento econômico propício para o intercâmbio comercial trará a São Paulo a 4ª Conferência de Logística Brasil-Alemanha. Pela primeira vez na capital paulista, o evento acontecerá durante a 19ª Intermodal South America – Feira Internacional de Logística, Transporte de Cargas e Comércio Exterior, de 02 a 04 de abril, no Transamérica Expo Center.

Conceituada como uma plataforma para o intercâmbio entre empresas, políticos e especialistas do setor, a conferência é uma parceria da Associação Alemã de Empresas de Logística (BVL) e da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro.

Dados recentes de pesquisa realizada entre os associados da câmara apontam que, pelo menos 60% das empresas possuem projetos concretos de investimento em vários setores do mercado brasileiro. O Brasil é visto com grande interesse por sua ebulição econômica e pelos inúmeros projetos de infraestrutura em curso. Aos olhos das empresas alemãs, o país tem-se posicionado como um polo concentrador de investimentos e como um mercado carente de soluções logísticas, segmento no qual as empresas alemãs são reconhecidas por sua expertise

CASES. Durante a 4ª Conferência de Logística Brasil-Alemanha, palestrantes de grandes empresas e especialistas da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha destacarão cases de sucesso e apontarão as melhores práticas em logística para que tomadores de decisão, investidores e indústrias possam potencializar seus negócios.

Com público estimado em 200 participantes, a conferência gerará ainda mais oportunidades na 19ª Intermodal South America. “A discussão em torno das soluções que possam aperfeiçoar os fluxos logísticos entre os países assume uma posição estratégica nos negócios tanto para nossos expositores, quanto às empresas que demandam dessa expertise. É mais uma oportunidade gerada na feira para alavancar a produtividade do setor”, destaca o gerente da Intermodal, Michael Fine.

Ano da Alemanha no Brasil 2013-2014 – Como forma de ampliar e aprofundar as relações entre os dois países, a partir de maio deste ano, Brasil e Alemanha iniciam uma série de ações e atividades a fim de traçar o futuro da parceria. Sob o lema “Quando ideias se encontram”, a iniciativa pretende incentivar novas parcerias e a visibilidade alemã no país, seja na cultura, política ou economia.

Conteúdo Empresarial – Comunicação IntegradaTel: (11) 3079.6339

 

FONTE Intermodal South America

Movimentação de contêineres da Log-In cai 3,2% em 2012

A Log-In Logística Intermodal informou nesta terça-feira (15/1) que a movimentação de contêineres no Terminal Vila Velha (TVV) atingiu 267.510 TEUs (contêineres de 20 pés) no ano passado, o que corresponde a um decréscimo de 3,2% na relação com 2011.

Desse total de contêineres, 177.347 estavam cheios, queda de 9%, enquanto 90.163 estavam sem nada dentro, alta de 10,9%.

Apenas no quarto trimestre do ano passado, a movimentação de contêineres da Log-In no TVV totalizou 59.425 TEUs, recuo de 16,5% na comparação anual, e de 15,9% na margem.

Fonte:Brasil Econômico

Sefa fiscaliza transporte intermodal de cargas

Da Redação
Agência Pará de Notícias

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) iniciou, esta semana, o procedimento de fiscalização do transporte intermodal de cargas. A ação acontece em seis estabelecimentos de transportadoras localizados na Grande Belém e tem como objetivo garantir o recolhimento do Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) para o Pará na modalidade rodoviária, o que não vinha acontecendo.

No primeiro dia da ação foram apreendidas algumas carretas com produtos da Zona Franca de Manaus, trazidas de balsas para Belém, e que são levadas daqui, por estrada, para outros estados. O ICMS era recolhido para o Amazonas.

O Pará defende que o imposto referente ao trecho Belém até o seu destino final seja recolhido aqui, onde se inicia a modalidade de transporte rodoviário.  Uma reunião foi marcada entre as secretarias da Fazenda do Pará e do Amazonas para discutir o assunto. No ano passado a Sefa já havia iniciada este procedimento de fiscalização, que foi sustado a pedido do Amazonas.

De acordo com o diretor de Fiscalização da Sefa, Célio Cal Monteiro, “a legislação de transporte intermodal é nacional e o que o Pará busca é o cumprimento da norma vigente”. Ele esclareceu que o transporte aquaviário inicia em Manaus, e que ao chegar ao Pará passa para a modalidade rodoviária, passando, portanto, a haver recolhimento do imposto ao Pará. “A Sefa está cobrando o ICMS do trecho rodoviário. O contribuinte pode recolher o imposto e prosseguir com o transporte da mercadoria. Caso contrário, a Sefa  apreende a carga e lavra o auto de infração”, informa o diretor.

Segundo o auditor de receitas estaduais, estas mercadorias estão desacompanhadas de documentário fiscal, pois a Sefa não reconhece o documento de transporte rodoviário emitido no Amazonas.

Aracaju realiza mais um Desafio Intermodal

Na próxima terça-feira (11), a ONG Associação Ciclo Urbano vai realizar a quinta edição do Desafio Intermodal. A proposta é calcular o tempo gasto em diversos modais ao longo de um percurso na cidade. Além de observar o tempo gasto em cada um dos deslocamentos, o Desafio também vai contextualizá-los em relação a critérios, como emissão de poluentes, tempo social gasto, pegada ecológica. Não basta chegar em primeiro lugar, os impactos ambientais também serão importantes, disse Luciano Aranha, presidente da ONG Associação Ciclo Urbano.

A saída acontece na Praça Olímpio Campos, em frente ao Palácio Museu Olímpio Campos, às 18h15 em ponto. Cada participante deverá chegar ao Teatro Tobias Barreto, na Av. Presidente Tancredo Neves, com o seu modal. O Desafio pretende mostrar as infinitas possibilidades de se locomover pela cidade, além de analisar o desempenho do transporte público em Aracaju, explica Aranha.

Os modais participantes serão: Pedestre caminhando, Pedestre correndo, Ciclista por vias rápidas, Ciclista por vias calmas, Ciclista por vias calmas (feminino), Ciclista + ônibus com bicicleta dobrável, Motociclista, Automóvel, Ônibus e Cadeirante.

Na edição de 2011, a Motocicleta ganhou em tempo, fazendo o percurso em dezessete minutos. Mas, avaliados todos os demais critérios, a bicicleta ficou em primeiro lugar, com tempo de dezoito minutos, velocidade média de 23km/h, sem custos ou despesas para o percurso e sem gerar poluição atmosférica.

Regras

Todos os participantes deverão respeitar as leis de trânsito regulamentadas pelo Código de Trânsito Brasileiro, como também as leis municipais de velocidade, sendo a velocidade máxima de 60 km/h em avenidas e 40 km/h em vias locais.

O tempo computado será o deslocamento completo da pessoa e não do modal. Portanto, será levado em conta o tempo que a pessoa leva até o modal e o tempo que ele perderá para estacionar o veículo, por exemplo. O ciclista desmontado se equipará a um pedestre, sendo a bicicleta o único veículo que não será necessário estacionar. Os pedestres terão que atravessar na faixa, a não ser que ela esteja a mais de 50 metros de distância ou não exista. Nesse caso, segundo o art. 69 do CTB, ele poderá atravessar no local que considerar mais seguro. O pedestre corredor terá que correr na calçada, caso isso não seja possível, será tolerado que ele use a rua.

Programação do Desafio

17h00 – Início da Concentração na Praça Olímpio Campos, em frente ao Palácio Museu Olímpio Campos e atendimento a imprensa.

17h30 – Alinhamento dos participantes e explicação das regras do desafio.

18h15 – Será realizado um contato telefônico com um representante da organização do desafio, lá no Teatro Tobias Barreto e ele dá a largada pelo viva-voz do celular. Nesse momento, as pessoas se dirigem até o seu modal e cada um faz o trajeto que achar mais conveniente.

18h35- Previsão de chegada dos primeiros participantes em frente ao Teatro Tobias Barreto.

19h15 – Previsão de chegada do último participante

Secretaria de Logística Intermodal de Transportes pode ser extinta

De acordo com entrevista concedida ao site Gazeta Digital pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Romoaldo Júnior (PMDB), o governador Silval Barbosa (PMDB) cogitou em reunião com secretários e deputados nesta terça-feira (05), extinguir a Secretaria Extraordinária de Logística Intermodal de Transportes, que tinha como secretário Francisco Vuolo.

Recentemente, o governador já tinha anunciado que pensava na fusão da Secretaria de Esportes à Secretaria Extraordinária da Copa. No entanto, segundo Romoaldo, nenhuma decisão foi tomada nesse sentido. O deputado Emanuel Pinheiro (PR), que se posiciona contrário a essa ideia, aproveitou para expor sua opinião ao chefe do Executivo.

O foco da reunião, que durou cerca de 6 horas, foi a discussão de uma reforma administrativa. A intenção é reduzir gastos em todos os Poderes constituídos. Para isso, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PSD) apresentou uma proposta, que foi aceita pelo governador.

Dessa forma, uma comissão composta por integrantes dos Poderes será formada para discutir a reforma administrativa do estado. Segundo informou Romoaldo Júnior, na próxima semana uma nova reunião será realizada para discutir os detalhes de como vai funcionar esse grupo de trabalho.

A proposta é reduzir os gastos em todos os Poderes e não somente no Executivo. Devem passar por cortes também o Judiciário, o Ministério Público e o Legislativo.

Mudanças no secretariado

Romoaldo Júnior disse que durante a reunião não foi discutida mudanças no secretariado estadual. Contudo, o parlamentar adiantou que até a segunda quinzena desse mês o PSD vai ser contemplado com cargos no primeiro escalão. As pastas a serem cedidas ao partido não foram reveladas.

Interior

O governador se comprometeu a voltar os olhos para o interior do estado, com a viabilização do programa Mato Grosso Integrado. Nesse projeto, 44 cidades do estado que ainda não contam com uma interligação asfáltica terão uma via pavimentada. Recursos estão sendo pleiteados no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), mas ainda não houve a liberação do montante.

A principal reclamação apresentada pelos parlamentares durante a reunião foi a falta de atendimento dos pleitos apresentados por parte dos secretários. Principalmente os deputados que representam o interior do estado têm feito várias reclamações desde o ano passado.

Os secretários aproveitaram a oportunidade para se defenderem. Disseram que atendem aos pedidos na medida do possível, mas argumentam que não conhecem os problemas tão bem quanto os parlamentares que estão periodicamente viajando as suas bases. (Com informações de Gazeta Digital e RD News)


Autor: PnBonline.com.br
Fonte: O NORTÃO

Ministro e governador inauguram terminal de cargas amanhã em MT

Fonte: Só Notícias com assessoria

 

O Terminal Intermodal de Itiquira  será inaugurado, amanhã, com a presença do governador Silval Barbosa e do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. São mais 212 quilômetros de ferrovia, no trecho Alto Taquari – Alto Araguaia – Itiquira. Os outros 148 quilômetros até a cidade de Rondonópolis estão em construção e o trecho deverá estar concluído até dezembro deste ano, segundo a concessionária América Latina Logística (ALL). “O Terminal de Itiquira é um passo concreto do avanço da Ferrovia em Mato Grosso”, afirmou o secretário extraordinário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes de Mato Grosso (Selit/MT), Francisco Vuolo.

A importância do Terminal Intermodal para a cidade de Itiquira, segundo Vuolo, tem diversos aspectos. O primeiro deles, é o econômico, que se vê claramente, cujos resultados efetivos já trouxeram para Mato Grosso, desde 2000, quando da inauguração do Terminal de Alto Taquari e posteriormente o Terminal de Alto Araguaia. A transformação por qual passou essas cidades e a região em torno delas é evidente. Eram cidades – apesar da qualidade da terra, do potencial agropecuário – cujas expectativas eram limitadas. Com a chegada da ferrovia aconteceu um crescimento significativo, atraindo indústrias, valorização econômica da terra, geração de novos empreendimentos, num círculo virtuoso permanente.

Junto com esse crescimento, alia-se os avanços sociais. Alto Taquari e Alto Araguaia investiram no aumento de escolas e na área de saúde para atender ao crescimento da demanda. Esses investimentos na área social, destaca Vuolo, impactaram também na população como um todo, além da geração de emprego e renda. “Ao que tudo indica, o Terminal de Itiquira vai produzir algo semelhante na região”, analisa.

Outro aspecto significativo da ferrovia é a logística para o nosso Estado. Mato Grosso produz acima dos patamares e índices nacional e internacional, por conta de seu clima extremamente regular. “Não temos geadas, terremoto, furacão, aliado aos avanços das técnicas de produção, faz com que os exportadores apostem, cada vez mais, no nosso crescimento”, disse.

Em um Estado de dimensões continentais – são mais de 900 mil km², o equivalente a três Itália – o investimento em logística é fundamental. “Precisamos melhorar as nossas estradas – e o governo vem fazendo isso, buscando novos recursos -, investir na hidrovia e ampliar a malha ferroviária, que é uma realidade”, destaca Francisco Vuolo.

A gestão de todos esses modais é que vão garantir novos investimentos com atração de industrias que vão agregar valores à nossa produção. “A logística é que vai possibilitar tudo isso”, afirma. A ferrovia, dentro desse painel logístico, segundo ele, tem um papel destacado, por ser um modal de transporte seguro e a relação custo-benefício é bastante positiva, e vai baratear o custo de escoamento da nossa produção.

O avanço da Ferrovia deve-se a ação do Governo Federal, que inseriu a ferrovia dentro do PAC I, aliado a ação do governo de Mato Grosso, aliado aos esforços da bancada federal e, importante, a iniciativa privada, por parte da ALL que acreditou na viabilidade e colocou a Ferronorte, através da gestão competente, num cenário viável.