Comissões debatem impacto de ferrovia e de terminal de cargas em Rondonópolis

As comissões de Viação e Transportes; e de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio realizam hoje, em Rondonópolis (MT), mesa-redonda sobre o impacto da chegada da ferrovia e da construção de um terminal de cargas na cidade – o maior da América do Sul, ocupando uma área de 385 hectares.

A iniciativa é do deputado Wellington Fagundes (PR-MT). Ele explica que Rondonópolis é um polo de produção agrícola e de cargas rodoviárias do Estado, abrigando grandes empresas de transporte de cargas, algumas com centenas de caminhões. A previsão é que essa vocação se consolide com a chegada da ferrovia.

“A expansão da Ferrovia Vicente Vuolo até Rondonópolis será de grande impacto econômico para todo o estado. Deverá atrair novas indústrias, gerando oportunidades de emprego, formando novas cadeias produtivas e inserindo definitivamente toda a região sul de Mato Grosso em um novo ciclo econômico e social”, disse Fagundes.

“A população e o PIB mais que dobrarão em até 15 anos. Rondonópolis só tem a ganhar com essa obra, mas nem sempre crescimento resulta em melhoria de vida para todos os moradores. A cidade precisa de um planejamento para absorver esses impactos e ganhar com essa obra”, acrescentou.

Foram convidados:
– o prefeito de Rondonópolis, Ananias Martins de Souza Filho;
– o secretário de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transporte de Mato Grosso. Francisco Antonio Vuolo;
– o presidente da Câmara Municipal, Hélio Roberto Pichioni;
– o secretário de Fiscalização e Obras do Tribunal de Contas da União (TCU), José Ulisses Vasconcelos;
– o secretário de Política Nacional de Transportes do Ministério dos Transportes, Marcelo Perrupato;
– a coordenadora de Arranjos Produtivos Locais da Secretaria de Desenvolvimento e Produção do MDIC, Margarete Maria Gandini;
– o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Weller Sanny Rodrigues da Silva;
– o superintendente Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Luiz Ehret;
– o superintendente de Serviços de Transporte de Cargas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Noboru Ofugi;
– o superintendente comercial da América Latina Logística, Leonardo Recondo;
– o superintendente de Projetos da América Latina Logística, Adriano Bernardi;
– o representante da agência Sebrae/MT Elson Tenório Cardoso.

A mesa-redonda será realizada às 18 horas, na Câmara Municipal.

Da Redação/WS

Anúncios

Novo terminal da Ferronorte será inaugurado neste sábado

O terminal rodoferroviário de Itiquira, a 359 km de Cuiabá, será inaugurado neste sábado (02), com a presença do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.

Fonte: Agrodebate

Ele tem capacidade para escoar 100 mil toneladas por dia e deverá gerar 210 empregos diretos.

A nova linha já está operando em caráter experimental desde o final de abril, depois da América Latina Logística (ALL) conseguir a licença do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O terminal, o terceiro do estado, está instalado em uma área de 70 hectares. Os outros dois ficam em Alto Araguaia e Alto Taquari, respectivamente a 426 e 509 quilômetros da capital.

Alto Araguaia

O terminal  de Alto Araguaia enfrenta problemas de escoamento devido ao alto fluxo de caminhões. Uma das metas da ferrovia é acelerar a recepção e o carregamento. Mais de 60% da soja de Mato Grosso saem pelos trilhos da ferrovia. Cada composição comporta de 6 mil a 8 mil toneladas de carga e faz o serviço de 150 carretas. A viagem dura quatro dias de Alto Araguaia até o Porto de Santos, em São Paulo.

“Nós conseguimos ter um desempenho melhor este ano, aumentando a produtividade do terminal, passando de 30 caminhões por hora para 40”, afirmou o Coordenador de produção do terminal, Flávio José da Silva.

Expansão

Rondonópolis será o próximo destino da ferrovia. As obras do Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR) já começaram em abril deste ano, com a terraplanagem e drenagem. Ele será construído em uma área de 400 hectares nas proximidades da BR-163, na saída para Campo Grande (MS). O terminal rodoferroviário terá uma estrutura para comportar os caminhões e um posto de abastecimento. A ALL calcula que três mil pessoas irão trabalhar na unidade.

A expectativa é que o município seja um dos maiores centros de recebimento e transporte da soja da América Latina com movimentação de até 15 milhões de toneladas por ano até 2015. Investimento que deve ficar em torno de R$ 750 milhões.

O projeto é estender a linha ferroviária até Cuiabá.  A projeção da Secretaria Extraordinária de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes é que até 2013 os estudos de impacto ambiental e o projeto estejam prontos. “Conseguimos um orçamento de R$ 14 milhões para a etapa inicial do projeto que deve durar 18 meses. Já a  construção da ferrovia irá ficar entre R$ 800 milhões e R$ 1 bilhão. Estamos estudando a possibilidade da linha transportar também passageiros”, destacou o secretário-extraordinário de Estado de Acompanhamento da Logística Intermodal de Transportes, Francisco Vuolo.

Fico

Mato Grosso deve ser atendido por outro empreendimento, a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), ligando em uma primeira etapa Campinorte, em Goiás, até Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso. A obra faz parte do Programa de Aceleramento do Crescimento (PAC 2).

Numa segunda fase a ferrovia deve chegar à Vilhena, em Rondônia. Ela terá o papel de integrar regiões. Em Goiás os trilhos vão se conectar à outra ferrovia, a Norte-sul. A produção de Mato Grosso terá, então, caminho aberto até outros portos como o de Itaqui, no Maranhão, diminuindo os custos de escoamento.

De acordo com José Eduardo Castelo Branco, presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, responsável pela obra, em um ano os procedimentos contratuais e o projeto estarão prontos. O prazo para início das obras é de 15 meses.

Brado inaugura terminal intermodal em Araraquara / Américo Brasiliense

Serão realizadas operações de armazenagem e ferroviárias, que podem diminuir em até 30% os custos do transporte 
Agências

Autoridades e empresários participaram na manhã de quinta-feira (8/3), da cerimônia de inauguração do novo Terminal Intermodal Rodoferroviário da Brado Logística, localizado na divisa das cidades de Araraquara e Américo Brasiliense (SP). O Terminal é ponto estratégico para embarque e desembarque de cargas do corredor Mato Grosso – Santos, percorrendo o trajeto de 1200 quilômetros até chegar ao Porto de Santos. Também é importante por estar instalado em uma região com forte potencial logístico e concentração de grandes empresas.

A previsão é que as operações intermodais reduzam os custos do transporte de cargas em até 30%. “Pela primeira vez estamos pensando no contêiner. O Brasil e o porto precisam desta mudança logística que é nova, competitiva, mais sustentável e barata”, comenta o presidente da Brado Logística, José Luis Demeterco.

Foram investidos R$ 10 milhões no Terminal, que tem 242 mil m² e capacidade para operar, inicialmente, 2 mil contêineres mensais, podendo concentrar mais de 50 mil contêineres anuais, no período de cinco anos. As cidades de Araraquara, São José do Rio Preto, Ribeirão Preto, Barretos e a região sul de Minas Gerais serão atendidas pelo Terminal com operações de cargas de açúcar, carne, papel e cítricos, que serão escoadas para o complexo portuário de Santos e destinadas, principalmente, para exportação.

“É com muita alegria que vemos hoje, a Brado iniciar operações que trarão desenvolvimento para a região, além de auxiliar empresas com transporte mais barato e renda para os municípios”, afirma o prefeito de Américo Brasiliense, Ademir Gouvêa. Para o prefeito de Araraquara, Marcelo Barbieri, a instalação do Intermodal reafirma a vocação logística da região, além de gerar mais empregos e renda.

Durante a solenidade foi realizada uma operação, em tempo real, de cargas com locomotivas da Brado, modelo AC44 da marca GE, e também com os vagões Spine Car 80’, desenvolvidos especialmente para a Companhia, que permitem o transporte de dois contêineres de 40’ e quatro ou três de 20’.