CEVA Logistics fará transporte marítimo de equipamentos

A CEVA Logistics, anunciou o projeto de transporte marítimo com a Petrobras, empresa brasileira integrada de petróleo e gás. O contrato inclui embarques mensais de cargas de grandes dimensões por transporte marítimo do porto de Tilbury, no Reino Unido, para o porto do Rio de Janeiro, no Brasil. A carga será transportada em navio de cargas de projetos especiais, cujo cronograma de viagem regular é pontual e otimizará o planejamento da Petrobras para instalação dos equipamentos. Com previsão de término em dezembro de 2014, o projeto será gerenciado pela equipe da CEVA dedicada à Petrobras.

Segundo o diretor de Energia e do Setor Industrial da CEVA para a América Latina, Eduardo Carlini, a empresa detém contrato de agenciamento de transporte internacional de cargas com a Unidade de Serviços de Contratação da Diretoria de Exploração e Produção da Petrobras há 4 anos.

 

Fonte: Guia Marítimo

Anúncios

Receita amplia prazo para registro no Siscoserv

É nesse sistema que os contribuintes registram suas operações de comércio exterior de serviço

Roseli dos Santos Lopes Oliveira, do 
Brasília – A Receita Federal ampliou o prazo de registro no Sistema Integrado de Comércio Exterior de Serviços, Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (Siscoserv). É nesse sistema que os contribuintes registram suas operações de comércio exterior de serviço.

A medida anunciada busca fazer uma transição gradual entre o prazo de registro que vigorou no primeiro ano, de modo que os contribuintes possam organizar seus sistemas internos para cumprirem corretamente a obrigação.

A Receita explica, em nota, que o registro no Siscoserv teve início em agosto de 2012. Desde então, os contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, após prestarem o serviço teriam até seis meses para realizar o registro.

A partir de 2014, esse prazo seria reduzido para um mês, no entanto, a Receita decidiu ampliar, de forma excepcional, o prazo para até três meses após a data da prestação do serviço. A Instrução Normativa nº 1.391, sobre o assunto, pode ser consultada na internet. Além disso, o limite de dispensa para pessoa física também foi ampliado de US$ 20 mil para US$ 30 mil.

O Siscoserv permite que sejam contabilizadas operações de compra ou venda de serviços no exterior. Desta forma, o serviço abrange operações de comércio transfronteiriço (como, por exemplo, o serviço vendido via Internet por empresa brasileira à empresa domiciliada no exterior); serviço prestado por residente ou domiciliado no Brasil e consumido no território brasileiro por residente ou domiciliado no exterior (como a capacitação no Brasil de funcionários de pessoa jurídica domiciliada no exterior); serviço prestado por pessoa jurídica domiciliada no exterior relacionada a uma pessoa jurídica domiciliada no Brasil (por exemplo, quando filial de empresa brasileira de construção estabelecida no exterior para execução de obra); e quando residentes no Brasil se deslocam por tempo limitado ao exterior com vistas a prestar um serviço a residente ou domiciliado no exterior (quando advogado residente no Brasil desloca-se para o exterior a fim de prestar consultoria jurídica, por exemplo).

Crise reduz movimento de cargas aéreas em Manaus

Com a exportação, a indústria local liderou a queda na movimentação

[ i ]A quantidade de cargas importadas desembarcadas ficou praticamente estável

Manaus – A movimentação de cargas pelo Terminal de Logística do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes apresentou queda em 2012. Os envios destinados à exportação do Polo Industrial de Manaus (PIM) foram os mais afetados, e retraíram 18,41%, na comparação com 2011.

De acordo com os dados da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) passaram pelo terminal 170.892 toneladas de carga, volume 6,71% menor que o do ano anterior.

Entre os envios e recebimentos domésticos, houve queda de 5,06% nos embarques e de 12,79% nos desembarques. Em 2012 foram descarregados 5,079 mil toneladas.

No embarque de produtos com destino ao exterior, o volume foi 18,41% menor em 2012, quando foram transportadas 316 toneladas.

De acordo com o coordenador do Centro Internacional de Negócios (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), José Machado Lima, a queda nas exportações ainda é reflexo da crise econômica mundial. “Na realidade, com a crise de 2008 houve uma desaceleração, cujo reflexo no Amazonas veio surgir a partir de 2011. São consequências da conjuntura do mundo, que afetaram e ainda afetam todo o País”, afirma.

O empresário observa que, com a atual situação política da Venezuela e a continuidade da crise em boa parte dos países europeus, será preciso expandir a negociação com investidores e novos mercados na Ásia e, principalmente, na América do Sul. “Diante da nossa realidade, será preciso alargar essas fronteiras do PIM”.

A quantidade de cargas importadas desembarcadas no terminal de Manaus também teve pequena retração no ano passado, de 0,29%.

Infraero movimentou 1,2 milhão de toneladas de cargas em 2011

Por Redação Pantanal News/Governo Federal

 

A receita obtida na área de logística de carga foi de R$ 659,1 milhões e representa um crescimento de 3,5%

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) movimentou 1,2 milhão de cargas no último ano, o que resultou numa receita de R$ 659,1 milhões. A Infraero fez investimentos na área comercial no valor de R$ 90 milhões e desses, R$ 69 milhões foram destinados ao desenvolvimento de logística de carga e R$ 21 milhões na melhoria de estacionamentos de veículos dos aeroportos da Rede Infraero.

No conjunto de equipamentos adquiridos para melhoria dos serviços prestados nos aeroportos da Rede Infraero, estão 80 caminhões de combate a incêndio e 250 veículos operacionais e administrativos. Os dados, que revelam investimentos na melhoria do atendimento ao cidadão que utiliza o serviço de envio de cargas ou é usuário de aeroportos, integram o Relatório Anual da Administração de 2011, publicado em 16 de março, no Diário Oficial da União (DOU).

Lucro – O lucro líquido da empresa, em 2011, foi de R$ 370,8 milhões, representando um crescimento de 58,4% em relação a 2010 (antes dos investimentos próprios em bens da União). Após a dedução dos gastos com obras e serviços de engenharia nos aeroportos, o lucro líquido ficou em R$ 156,8 milhões, um aumento de R$ 383,7% em relação ao valor obtido no ano anterior. Outro recorde da Infraero no último ano foi alcançar o montante de R$ 1,1 bilhão nas receitas comerciais, um crescimento de 20,51% em relação a 2010.

A empresa não investiu apenas em equipamentos, mas também em capacitação. Em 2011, foram investidos R$ 35 milhões em educação corporativa, com a aplicação de 280 cursos de qualificação profissional, em torno de 120 mil participações. As atividades de qualificação envolvem empregados do quadro próprio, terceirizados, contratados, bombeiros conveniados e comunidade aeroportuária. Entre esses, os 12,3 mil profissionais da comunidade aeroportuária, qualificados para o atendimento às pessoas com algum tipo de deficiência.

Aeroportos adotam Centro de Gerenciamento
Foram implantadas, em 2011, 12 unidades dos Centros de Gerenciamento Aeroportuário (CGAs) em 10 estados das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Criado pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC) e coordenado pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), os CGAs contam com representantes da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Receita Federal, Polícia Federal, Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), Sistema de Vigilância Internacional (Vigiagro), além de representantes das companhias aéreas.

Os CGAs são salas equipadas com ferramentas tecnológicas que propiciam comando e controle imediatos e união de todos os envolvidos no processo de embarque e desembarque de passageiros, ajudando a minimizar possíveis conflitos no ambiente aeroportuário e a solucionar problemas em curto espaço.

As Autoridades Aeroportuárias executam e monitoram as ações nos aeroportos em tempo hábil para garantir qualidade e rapidez nas atividades dos aeroportos, sob o comando da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero).

Segundo o coordenador de Terminal de Passageiros e responsável pelo CGA em Brasília, Josmário Alves, houve 1.173 voos chegando no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek fora do seu horário de trânsito (HOTRAN). “O CGA realizou gestão com cada companhia aérea para identificar e diagnosticar a causa do atraso e o suporte necessário para fazer com que esses voos voltassem a operar nos seus respectivos horários. Essas ações foram realizadas sem comprometer a infraestrutura e serviços disponíveis aos demais voos”, afirmou o coordenador.

Os aeroportos que já contam com as salas são: Brasília (DF), Congonhas e Cumbica (SP), Galeão e Santos Dumont (RJ), Confins (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Manaus (AM) e Recife (PE).