Exportação da Grendene cresceu 9%

As vendas externas da fabricante de calçados avançaram no primeiro trimestre para R$ 128,3 milhões.

Da Redação [ ANBA ]

São Paulo – A Grendene, fabricante brasileira de calçados, teve crescimento de 9% na sua receita com exportações no primeiro trimestre do ano, segundo resultados divulgados pela empresa nesta sexta-feira (26). O mercado externo gerou R$ 128,3 milhões neste ano até março contra R$ 117,6 milhões nos primeiros três meses de 2012.

Em volume de pares, as exportações da fabricante de calçados cresceram 5,7% para 15,1 milhões. Foram 14,3 milhões de janeiro a março do ano passado. O aumento menor em volume do que em receita ocorreu porque houve alta no preço médio do calçado exportado em 3,1%, de R$ 8,26 para R$ 8,52. A empresa responde por 45% das exportação do setor no Brasil.

Baratear comércio exterior é alvo de reforma

Nas próximas semanas será publicada MP que simplifica portos e aeroportos

Com o objetivo de reduzir pela metade o tempo de liberação das mercadorias e ganhar eficiência, o governo planeja lançar este ano medidas que facilitem o trabalho de exportadores e importadores. Entre as iniciativas previstas está a simplificação da burocracia nos portos e aeroportos do país, considerados lentos e caros.

empresa que resolver exportar espera, em média, 13 dias para conseguir enviar o produto. Segundo dados do Banco Mundial, os importadores penam por um tempo ainda maior, de 17 dias. A referência no setor é Cingapura, onde os prazos são de cinco e quatro dias, respectivamente.

No Brasil, o custo por container de exportação atinge US$ 2.200, dobro do valor pago nos Estados Unidos e quatro vezes maior que o despendido na China.

Criado pelo ministério do desenvolvimento, o projeto de simplificação vem sendo criado nhá um ano. Com apoio da Receita Federal, dos ministérios que influenciam no comércioexterior e da Confederação Nacional da Indústria. A tarefa vai começar com um pente-fino na legislação. A ideia é revogar totalmente de 6 a 12 decretos sobre comércio exterior. Uma medida provisória com as novas regras deverá ser publicada nas próximas semanas.

Objetivo é reduzir à metade o tempo de liberação das mercadorias
Objetivo é reduzir à metade o tempo de liberação das mercadorias

A faxina permitirá, por exemplo, a revisão de normas como a do recolhimento de tributos de produtos reimportados (que precisaram voltar para serem reparados), considerado inconstitucional pelo STF. Já a segunda etapa prevê a modernização de sistemas. Entre as novidades, seria implantado o guichê único, no qual empresas e órgãos diretamente ligados ao setor vão registrar e acompanhar detalhes sobre os produtos. Atualmente a tarefa é executada por sete sistemas diferentes.

Com Folha de S. Paulo