Tecnologia agiliza e aumenta produtividade dos portos

Assunto discutido a todo o momento, o caos na logística e no transporte de cargas no Brasil vem sendo tema de muitos debates. Para Maxwell Rodrigues, vice presidente da HTS no Brasil, as extensas filas de caminhões que dão acesso ao Porto de Santos, em São Paulo, foram o chamariz para o caos do sistema culminando no cancelamento da venda de 2 milhões de toneladas de soja para a China.

“O que acontece é que a produção aumenta, o comércio exterior cresce e, por outro lado, a ampliação de estradas, vias de acesso, e outras soluções de infraestrutura, tão aguardadas para acelerar o processo de logística, não ocorrem. Na contramão da falta de investimentos do governo, uma das medidas de sucesso, que vem sendo adotada por empresas privadas que administram os terminais portuários, é o uso de tecnologias para a automação dos sistemas de acesso de caminhões, logística, controle e segurança de carga nos terminais”, analisa.

 

Fonte: Guia Maritimo

 

Balança inicia abril superavitária em US$ 311 milhões

A balança comercial brasileira iniciou o mês de abril com superávit de US$ 311 milhões. O saldo positivo resultou de exportações de US$ 4,764 bilhões, superiores às importações, que ficaram em US$ 4,454 bilhões. No acumulado do ano, a balança continua deficitária em US$ 4,845 bilhões. Os números foram divulgados ontem (8) pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

A média diária exportada ficou em US$ 953 milhões, recuando tanto na comparação mensal quanto na anual. Com relação à primeira semana de abril de 2012, houve decréscimo de 2,6%. Já no comparativo com março deste ano, a queda foi de 1,3%. Os responsáveis pela queda nas vendas externas no ano foram os produtos manufaturados (-6,7%) e básicos (-1,1%).

No grupo de manufaturados, aviões, óleos combustíveis, remédios, pneumáticos, partes de motores, autopeças e motores e geradores puxaram o recuo. No grupo dos itens básicos, petróleo bruto, bovinos vivos, fumo em folhas e café em grãos encabeçaram as exportações menores. A categoria semimanufaturados foi a única a registrar alta modesta nas vendas externas frente a 2012, de US$ 100 milhões para US$ 110 milhões. De acordo com o MDIC, os responsáveis foram cobre, ouro e açúcar bruto.

As aquisições no exterior alcançaram média diária de US$ 890,8 milhões na primeira semana de abril, 4,7% inferior tanto à do mesmo período de 2012 quanto à de março deste ano. No comparativo anual, caíram as importações de combustíveis e lubrificantes (-66,6%), cobre (-22,6%), cereais e produtos de moagem (-7,8%) e siderúrgicos (-2,7%).

As exportações brasileiras alcançam US$ 55,601 bilhões em 2013, e as importações, US$ 60,446 bilhões. Segundo posição oficial do MDIC, o governo espera encerrar o ano com exportações elevadas e balança superavitária. No entanto, o órgão não divulgará meta numérica para as exportações como fez em anos anteriores.

Fonte: Agência Brasil