Capitania dos Portos do Paraná amplia navegação para navios de contêineres

A Capitania dos Portos do Paraná ampliou a navegação pelo canal de acesso aos portos paranaenses. A partir de agora, Paranaguá terá condições de receber navios de até 335 metros de comprimento, no período diurno, e de até 306 metros de comprimento no período noturno.

Esta é a segunda vez, no mês, que a Capitania dos Portos do Paraná expande as condições de navegação pelo Canal da Galheta. Para Luiz Henrique Dividino,  superintendente da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), isso é o reflexo da nova infraestrutura marítima do Paraná: “Ao autorizar a dragagem de manutenção no canal que dá acesso aos portos de Paranaguá e Antonina, o governo já esperava que a ação refletisse diretamente na maior segurança, na ampliação da capacidade operacional e no aumento da produtividade”, afirma.

“A dragagem já reestabeleceu a profundidade, de 15 metros, e a largura, de 200 metros, do Canal da Galheta. Agora, estamos realizando a dragagem de sobre largura no ponto mais crítico desse trecho, elevando os níveis de segurança e reduzindo as incertezas principalmente em anos que temos eventos climáticos extremos que aceleram o assoreamento. São 1.650 metros que passarão de 200 para 225 metros de largura. Com isso, vamos reduzir o tempo do avanço acelerado do assoreamento no trecho de mais risco da navegação”, conclui o superintendente.

Fonte: Guia Marítimo

Parâmetro logístico-portuário frente à globalização é tema de seminário

Nos últimos dias 23 e 24, a Escola de Educação Profissional São Jorge realizou o seu 2º Seminário Parâmetro Logístico Portuário frente à globalização. O evento ocorreu no auditório do Centro de Convívio dos Meninos do Mar e foi dirigido a estudantes, profissionais da área e demais interessados no assunto.

No primeiro dia, houve uma apresentação cultural e palestras ministradas por Márcio Socoowski Azevedo, professor da escola São Jorge e despachante aduaneiro, e pelo chefe da Divisão de Qualidade e Contratos da Superintendência do Porto do Rio Grande, Ademir Casartelli. O primeiro abordou “A importância dos terminais retroportuários de contêiner no porto do Rio Grande” e o segundo, “Projetos e Perspectivas para o Porto do Rio Grande”.

No sábado, as palestras foram sobre a “A importância dos terminais portuários no comércio exterior brasileiro”, “O porto do Rio Grande no cenário internacional marítimo e portuário”, e “Sistema Pampa: Uma ferramenta de logística”. O primeiro assunto foi abordado por Gustavo Lontra e Fábio Neves, ambos do Tecon e professores da escola São Jorge. O segundo tema teve como palestrante Enéas José da Silva Júnior, consultor em serviços marítimos e logísticos, e o terceiro, Edilon Oliveira Soares Júnior, encarregado de Logística da CCGL.

O seminário objetivou integrar os Cursos Técnicos da Escola de Educação Profissional São Jorge, a fim de que os alunos pudessem compartilhar experiências acadêmicas, bem como interagir com profissionais ligados a sua futura área de atuação. A intenção também foi possibilitar o diálogo entre os diversos elos abrangidos pelo setor, de modo a permitir o compartilhamento de informações, as dificuldades que recaem sobre o sistema logístico-portuário e as evoluções e tendências verificadas que visam a ganhos logísticos.

 

Por Carmem Ziebell
carmem@jornalagora.com.br