Deputado quer impor limite de peso em cargas transportadas

Fonte: A Gazeta

 

O governo do Estado está sendo cobrado a impor limites de peso nas cargas transportadas por caminhões pelos mais de 25 mil quilômetros de rodovias estaduais sem pavimentação. Anualmente são gastos mais de R$ 100 milhões na manutenção dessas rodovias, sendo que a diminuição no peso transportado poderia elevar o tempo de duração dessas estradas por onde são escoadas boa parte da produção de Mato Grosso.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Romoaldo Júnior (PMDB), que tem sua base eleitoral no Nortão do Estado, disse que a situação é lastimável e que é necessário que o Estado adote medidas emergenciais para recuperar os trechos já destruídos pelo excesso de cargas e também a limitação por veículo pesado. “Encontramos caminhões com 90 toneladas, quando o máximo deveria ser de 20 toneladas. Então é preciso que o governador Silval Barbosa baixe um decreto proibindo se transportar mais de 20 toneladas e promova a apreensão de quem desrespeitar a decisão, sob pena de Mato Grosso ter varias partes do seu território sem comunicação por estrada diante das chuvas torrenciais e da insistência de alguns em abusar do peso”, disse o líder após 3 horas de reunião com o secretário de Transportes, Arnaldo Alves de Souza.

O secretário lembrou que a medida se adotada representaria uma economia para os cofres públicos, mas alertou que é preciso toda uma logística para que a produção não seja prejudicada, o que afetaria a economia estadual ainda mais e também de fiscalização intensa para se punir aqueles que desrespeitasse as regras.

“É comum este tipo de ação em vários países do mundo e da América do Sul onde o alto custo do asfalto impede que todas as rodovias sejam pavimentadas”, disse Arnaldo Alves de Souza ponderando que seriam necessários mais de dois orçamentos total de Mato Grosso, ou seja, R$ 25 bilhões para se pavimentar todos os 25 mil quilômetros de rodovias estaduais sem asfalto.

O secretário de transportes explicou também que o pavimento asfáltico também sofre com o excesso de peso nas cargas que é responsável pelo dano, sem contar que existe um tempo de durabilidade e a necessidade de se fazer constantes manutenções, o que encarece os custos finais dos recursos aplicados nas rodovias de um Estado com quase 1 milhão de quilômetros quadrados como Mato Grosso.

Romoaldo Júnior disse que diante da dificuldade em convencer as pessoas de não promoverem o transporte com excesso de cargas, resta ao Estado promover ações emergenciais de recuperação e limitação no peso e defendeu esforços políticos de toda a classe em busca da viabilidade de um empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) solicitado pelo governador Silval Barbosa no valor de R$ 2,5 bilhões para a pavimentação do acesso de 44 municípios a capital do Estado proporcionando que todas as 141 cidades tivessem uma ligação por rodovia pavimentada com Cuiabá e com as rodovias federais vindas de outros estados brasileiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s